Blog

O que faz uma assessoria de imprensa? 5 dicas para a primeira ação

O que faz uma assessoria de imprensa? 5 dicas para a primeira ação

“Quem não é visto não é lembrado”, diz o ditado. É bem verdade que, atualmente, companhias de todos os portes estão cientes da necessidade de se mostrar para o mundo. Mas se por um lado parece simples divulgar qualquer marca em uma rede social, blogs e canais de internet, por outro, como realizar essa ação com credibilidade? É neste momento que entender o que faz uma assessoria de imprensa e uma possível contratação surgem como estratégia confiável. Dessa forma, ser possível emplacar seu negócio e fortalecer a imagem institucional na mídia.

Muitas vezes, empresas que nunca tiveram este serviço não sabem o que faz uma assessoria de imprensa, nem que resultados esperar. Em tempos de Fake News, profissionais mal-intencionados tiram vantagem desta situação e prometem ações que não têm nada a ver com o real trabalho de uma assessoria de imprensa.

Confira cinco dicas da VIANEWS para não cair em propostas irreais e saiba o que faz uma assessoria de imprensa.

1 – Assessor não pode garantir publicação espontânea em uma determinada mídia

Buscar conteúdos interessantes do cliente (ex: eventos, lançamento de produtos e pesquisas), criar uma ponte com os veículos de imprensa, despertar seu interesse e cavar matérias a respeito: isso é o que faz uma assessoria de imprensa.  Do outro lado do balcão, o editor-chefe é quem decide dentre as inúmeras sugestões recebidas quais se encaixam às pautas do momento.

Se seu assessor garantir que emplacará seu material em determinada revista ou programa de TV, desconfie. A menos que ele também seja o chefe da redação, ele não tem a palavra final sobre o que será publicado, menos ainda quando. O jornalismo é diretamente afetado pelo cotidiano, o que se reflete em uma agenda pouco previsível. Caso algo factual, como um acidente ou a morte de um famoso, seja mais importante no momento, até mesmo as matérias já produzidas podem, como se diz no jargão jornalístico, “cair”.

2 – Quantidade de clippings não é o mais importante

Outra promessa comum é a garantia de que seu release será publicado em determinado número de sites. Na verdade, essa meta pode ser cumprida com facilidade. Hoje em dia, existem disparadores de e-mail em massa pagos que publicam seu release em diversos canais, de acordo com o seu budget.

O que esses profissionais não contam é que os conteúdos entram na aba de publicidade, contrariando um dos maiores ganhos obtidos pelo trabalho de assessoria de imprensa: reputação. Uma única matéria em um veículo de renome representa muito mais do ponto de vista estratégico para a instituição que incontáveis clippings pagos.

3 – Uma boa reputação aumenta a credibilidade da empresa

Um dos maiores ganhos que um trabalho eficiente de AI proporciona é aumentar a credibilidade da marca. Ao passo que o assessor oferece porta-vozes da empresa como fontes, pouco a pouco os jornalistas passam a saber a quem recorrer quando estiverem produzindo matérias sobre o tema. Uma fonte com bom conteúdo, antenada com os temas do momento e, principalmente, disponível para atender a imprensa, sempre terá um espaço cativo na lista dos jornalistas.

Encontros um a um de porta-vozes com jornalistas target também são fundamentais para construir uma boa relação com os veículos. Mesmo que isso não gere uma matéria sobre a empresa imediatamente, investir nestes momentos é essencial para estreitar os laços e vislumbrar futuras oportunidades.

4 – A empresa não terá acesso à matéria antes da divulgação

Mediação entre instituição e veículo feita, entrevista concluída, é chegada a hora de esperar a divulgação da reportagem. Diferentemente do que acontece em conteúdos de comunicação interna, a empresa não receberá a matéria para aprovação.

A fim de manter a tão falada imparcialidade jornalística, nenhum entrevistado tem acesso ao conteúdo de véspera, nem opina no direcionamento da pauta. Se existir algum tipo de insegurança ou receio com relação ao que será publicado, o ideal é avaliar com o assessor se vale a pena colaborar nesta edição.

5 – Assessoria de imprensa não é publicidade

Como já falamos, o que faz uma assessoria de imprensa é servir de pivô entre a empresa e a mídia, buscando oportunidades de divulgação espontânea e gratuita. Ainda que pouco ético, não é incomum que veículos entrem em contato com as empresas para pedir fontes, gravem entrevistas e depois enviem a conta.

É importante ficar claro que espaços pagos são publicidade. A negociação de sugestões de publieditoriais e artigos comerciais costumam fazer parte das estratégias do setor de marketing. Nestes casos o foco está na venda de produtos ou serviços, podendo assim usar uma linguagem mais comercial, sem medo de parecer propaganda. Não tente enganar seu público-alvo: eles sabem muito bem distinguir um do outro.

Agora que você já sabe o que faz uma assessoria de imprensa, leia mais no blog como a Vianews pode ajudar a divulgar ainda melhor seu negócio na mídia.