Memes na estratégia de comunicação, por que devo investir nisso?

Em tempos em que a polarização política transformou as redes sociais em um exaustivo campo de batalha com seus monótonos “textões”, a necessidade de se refugiar dos ataques popularizaram de forma espontânea o uso de memes. Isso acontece principalmente entre os jovens, faixa etária na qual a disseminação desse tipo de linguagem digital é utilizada. Nesse fluxo, as empresas precisam ter um olhar especial e inserir os famosos memes na estratégia de comunicação.

O termo “meme”, com origem no livro “O gene egoísta”, do biólogo britânico Richard Dawkins, representa um vídeo, uma tira, uma imagem ou uma frase. Possui conteúdo humorístico referenciado normalmente por um fato que, por alguma peculiaridade, acaba viralizando por meio das redes sociais.

A língua não é algo estático e, por isso, muda ao longo dos anos. Com a chegada da internet e o estabelecimento da comunicação digital, consideramos a linguagem digital uma nova forma de comunicação. Aceitar isso para traçar memes na estratégia de comunicação corporativa é primordial para não se tornar obsoleto. Não se trata de uma moda jovem ou de algo simplesmente passageiro. Os memes na estratégia de comunicação, assim como os emojis, vieram para ficar. E se você é um comunicólogo vivendo no século XXI deve internalizar os memes como uma linguagem.

Entender de memes é princípio básico para todo social media que se preze. E como o marketing digital é uma profissão cada vez mais em alta no mundo. Saber trabalhar com memes na estratégia de comunicação não é mais diferencial, é obrigação. Hoje, grandes corporações já reconhecem a importância dessa nova forma de comunicação que transcendeu a barreira do digital e alcançou veículos de comunicação mais tradicionais. Caso das propagandas de televisão do Mc Donald’s, que utilizam memes como linguagem comercial para aumentar a venda dos produtos.

O meme é a mensagem

Engana-se quem pensa que o Brasil é um exportador apenas de grãos, carnes e jogadores de futebol. O país pode se orgulhar de ser um grande exportador de memes. A criatividade do povo brasileiro, somado aos inúmeros fatos ocorridos servindo como matéria-prima para a criação destes, fez com que o país se tornasse referência “memística”. E, por incrível de pareça, o fato provocou até uma guerra “memeal” com Portugal em que, claro, vencemos.

Essa não foi a única vez que o país chamou a atenção lá fora pela nossa capacidade de gerar memes. Todo mundo já ouvir falar de Maria Odete Brito de Miranda Marques, mais conhecida como Gretchen, rainha da internet. Sua fama atravessou oceanos e chegou aos ouvidos de diversas celebridades mundialmente reconhecidas, dentre elas, a cantora pop internacional Katy Perry. A cantora convidou nossa ex-rainha do rebolado para participar de um clipe do seu single “Swish swish”.

Portanto, como parte da linguagem de um país, o meme também faz parte da cultura. Ignorar isso é um sintoma de atraso na comunicação não-verbal. Essa linguagem é a maneira como hoje a internet se comunica. O Brasil, por ser um grande produtor de memes, torna seus comunicólogos especialistas no setor. Não dar a devida atenção a isso é um erro grave dentro da estratégia de comunicação. Saber usar o meme como ferramenta corporativa é fundamental para unir os conceitos da comunicação organizacional ao público pretendido pela organização.

Deixe um comentário