Onde está a notícia?

Dizem que todos têm direito a 15 minutos de fama, incluindo a sua marca ou empresa. E se essa fama for duradoura melhor ainda. O trabalho desenvolvido por uma Assessoria de Imprensa é construído no dia a dia. Ele envolve o contato com os jornalistas nas redações e o desenvolvimento de uma série de atividades algumas delas básicas. Entre elas o texto para divulgação, press release, sugestão de pauta e o follow up que serve como uma sondagem para averiguar o interesse pela sugestão para se tornar notícia.
Cada ofício tem suas dores e prazeres. E como o assessor de imprensa atua como uma ponte entre o cliente, sua marca, junto aos jornalistas, ele sabe muito bem o significado dessa expressão. Ser intermediário, às vezes tem seus contratempos! É relativamente comum o cliente assinar com Assessoria de Imprensa e questionar quando será notícia numa publicação de circulação nacional. Ou então, ter a sua imagem ou produto veiculado em rede nacional pela telinha.
O céu é o limite, conquistar o tão sonhado horário nobre. Até aí, nenhum problema. Fontes idôneas, marcas confiáveis têm sempre espaço na mídia. E como estamos descrevendo um cenário ideal, nada de “gestão de crise interna”. Isso requer outras ferramentas e uma pronta ação dos gestores ligados diretamente à empresa.
O que o cliente nem sempre se lembra ou às vezes nem sabe ao certo é que a construção de um relacionamento com a Imprensa é uma tarefa que exige constância e foco. E não vale desprezar as mídias menores, pois isso também é uma questão de ponto de vista. Cada mídia ou publicação tem o seu público-alvo e pode ser exatamente aquele público que o cliente deseja alcançar com o seu produto ou serviço para se tornar notícia.

Dica para virar notícia

Dizem que conselho nunca se dá, e no caso da Assessoria de Imprensa é bem verdade. A Assessoria é remunerada para trazer soluções, fica a dica para todos os assessorados, ou melhor, os clientes: Não desprezem as publicações segmentadas ou especializadas, os jornais de bairro, de associações, as novas mídias, enfim, todos os veículos informativos. Se não estão convencidos, deixo mais uma dica: os chefes de reportagens, pauteiros nas redações dos veículos de alcance nacional, estão sempre de olho nessas publicações segmentadas, em busca de ideias, de novas pautas.

Deixe um comentário