Funcionalidades do LinkedIn para negócios: muito além do relacionamento

No início da implementação do LinkedIn, muitas pessoas apresentavam certa resistência a esta mídia social, por falta de conhecimento ou por não acreditarem em todo o seu potencial. Hoje nota-se que direcionar o LinkedIn para negócios é uma tática mais que importante, é necessária.

Em uma análise retrospectiva, percebe-se que muitos usuários negligenciavam várias funções quando a plataforma estava nos seus estágios iniciais. Mas é de se maravilhar ao descobrir o universo de possibilidades oferecidas pela rede. Alguns exemplos destas funcionalidades: acesso a companhias e profissionais de todo o mundo; conteúdo de qualidade; fóruns de discussões; e inúmeras outras fontes de pesquisa e interação.

Se esse empoderamento é dado a um usuário, imagine as infinitas possibilidades que as empresas têm para criar e desenvolver sua voz na internet. Atualmente esta prática tem sido impulsionada pelo social selling. Tal técnica consiste em criar e manter relacionamentos com as personas certas, gerando, por consequência, leads mais qualificados (MQLs). Aplicá-la às redes sociais, em especial ao LinkedIn, nunca foi tão fácil. Atualmente a rede social possui mais de 300 grupos que discutem o tema específico em diversas localidades e idiomas. Ou seja, o tópico de social selling pode ser compreendido até mesmo dentro da plataforma.

De acordo com números fornecidos pelo próprio LinkedIn, mais de três milhões de empresas mantêm páginas exclusivas. Dentre os mais de 30 milhões de usuários brasileiros, cerca de 4,4 milhões ocupam a posição de gerência; 94% dos profissionais de Marketing B2B o utilizam para distribuir conteúdo; 80% dos leads gerados em redes sociais têm origem nele. Estes números evidenciam a missão da companhia de “Conectar os profissionais do mundo e torná-los mais produtivos e bem-sucedidos”. As estatísticas atestam que as organizações devem orientar seu LinkedIn para negócios.

Por dentro do LinkedIn

Confesso que quando tive acesso aos números em uma apresentação realizada pela equipe  de marketing na sede do LinkedIn, em São Paulo, fiquei ainda mais impressionada. Traduzindo em números: são mais de 560 milhões de usuários ativos em 200 países; 20 milhões de empresas; oferta de 15 milhões de vagas; 50 mil skills; 60 mil escolas; e 190 bilhões de visualizações dos posts.

Aproximando à nossa realidade, a América Latina reúne 70 milhões dos usuários. Destaque especial para o Brasil, quarto país no mundo com mais usuários na rede. São 33 milhões, atrás apenas de Estados Unidos (141 mi), Índia (47 mi) e China (41 mi).

Analisando o perfil do usuário brasileiro mais profundamente, são 3,3 milhões de estudantes; 1,3 milhão de graduados em 2017; 1,4 milhão de tomadores de decisões; 1,8 milhão atrás de novas oportunidades; 830 mil ocupando cargos de C-level; e 990 mil são líderes de opinião.

Diante desse cenário, fica clara a relevância da mídia social. É uma excelente forma de fazer seu conteúdo chegar aos profissionais certos. Seja por cargo, área ou região. Os usuários do LinkedIn têm acesso a diferentes perfis e seus históricos, rede de contatos (networking) e informação por meio de conteúdo de qualidade e temas de interesse.

Orientando seu LinkedIn para negócios

A dedicação e o tempo investidos no LinkedIn apoiam-se em três principais áreas, as quais consideramos fundamentais para as empresas – RH, Marketing e Vendas. Por isso, as soluções ofertadas para as empresas são Talent Solutions (foco em pessoas e talentos), Marketing Solutions (mídia focada em B2B e leads) e Vendas (relacionamento e social selling).

Desta forma, quatro passos são fundamentais na construção da história que a empresa contará para os seus colaboradores e os usuários da rede. São eles:

  • A empresa: histórico, cultura e valores;
  • A audiência: compreender seu público-alvo e o que consome;
  • O conteúdo: autêntico e engajador;
  • Distribuição: compartilhar histórias.

Para tal, define-se o objetivo; segmenta-se o público; envolve-se com conteúdo (orgânico e patrocinado) e otimiza-se o impacto. Tudo isso, claro, baseado em uma estratégia pré-estabelecida, parte do planejamento inicial.

Construindo o perfil campeão

Para suplementar a contratação das soluções ofertadas, as quais são personalizadas junto com uma equipe do LinkedIn, é preciso investir na construção de sua marca e página – não apenas empresarial, como de seus colaboradores.

Desde o início do ano, por exemplo, temos aplicado estas técnicas no perfil da VIANEWS Hotwire e de nossos colaboradores. O primeiro passo consiste em montar um perfil campeão, o qual eleva a visibilidade competitiva dentro de um segmento.

Após isto, define-se as palavras-chave. Assim, eleva-se a visualização dos perfis, otimizando as buscas. Outro ponto fundamental são as conexões certas. Para além de quantidade, mensuramos a qualidade e o quanto a conexão – seja empresa ou profissional – agregará ao nosso negócio ou carreira.

Por fim, a contribuição com informações relevantes é fundamental para destacar e posicionar a imagem perante aos demais usuários da rede. Com isso em mente, nosso diretor, Pedro Cadina, tornou-se o Top Voicer da empresa. Isto é possível não apenas com conexões certas, mas com artigos publicados em seu Pulse, como forma de transmitir informações e dados do setor regularmente.

Possibilidades não faltam e o direcionamento do LinkedIn para negócios só tende a crescer. Não apenas pela quantidade de vagas abertas ou de desempregados no país, mas pelo conteúdo de qualidade que oferece. Se quiser conversar e ver o que tenho postado, pode me adicionar e seguir lá, ficarei contente em manter contato.

Deixe um comentário