Internacionalização de marcas: saiba tudo o que rolou em nosso evento

No início de junho a VIANEWS Hotwire realizou um evento especial, em São Paulo, com o objetivo de ajudar as empresas locais que buscam expandir seus negócios para mercados internacionais, mas têm dúvidas sobre como começar. Com foco nos aspectos de comunicação e marketing envolvidos na internacionalização de marcas, o evento contou com palestras de executivos reconhecidos em seus setores de atuação. A apresentação do evento foi realizada por Adalberto Piotto, âncora e editor-chefe do jornal “Cenário Econômico”, da TV Brasil.

Reveja (ou veja), as apresentações de:

Mervyn Lowe, COO do Bradesco inovaBra Habitat – e empresário que entrou no mercado chinês anos atrás com soluções digitais para o setor de Educação.

 

Alessandro Gil, diretor de experiência da VTEX, que atualmente lidera a expansão internacional da empresa de comércio eletrônico.

 

Pedro Cadina, fundador e CEO da VIANEWS, contando o próprio caminho da agência no mercado internacional nas últimas duas décadas.

Compartilhando dicas de internacionalização de marcas

O evento contou ainda com uma série de vídeos curtos gravados por especialistas em comunicação dos mais diversos países, abrangendo Rússia, China, França, Bélgica, Índia, Estados Unidos, Emirados Árabes, Colômbia e Chile. Cada um contribuiu com dicas essenciais sobre o que fazer e o que não fazer ao iniciar um programa de comunicação em cada país.

Listamos algumas das principais dicas aqui:

Internacionalização de marcas: China

-Na China, não fale muito sobre política. Não se envolva com esse tema, mantenha o foco nos negócios.

-Se você participar de uma coletiva de imprensa ou evento voltado para a mídia, notará que muitos repórteres são de nível júnior, e você precisa ser paciente porque às vezes as perguntas podem ser muito simplórias.

-O idioma chinês é muito importante, então por muitas vezes você vai ter que traduzir os materiais que apresentar na China.

Internacionalização de marcas: Singapura

-A primeira coisa, ironicamente, é assegurar-se de não enxergar a região Ásia-Pacífico como um grande território. Ela é cheia de muitos mercados diferentes.

-Outro fator que merece atenção é que dentro desses mercados, as mídias sociais podem ser bem distintas. O Facebook, por exemplo, é proibido na China, porém prevalece em outras partes da Ásia-Pacífico.

Internacionalização de marcas: Índia

-A comunicação precisa levar a uma conexão emocional. Fatos e números são bons, mas são as emoções que fazem as histórias chegar ao público indiano.

-Fique longe de afiliações políticas e não comente sobre políticas de governo, a menos que seja absolutamente necessário.

-Outra coisa importante é que o país tem 22 línguas oficiais e cerca de 1.000 dialetos. Mas se você está falando de negócios, não se preocupe! O inglês é tudo que você precisa.

Internacionalização de marcas: Oriente Médio

-Não tente usar dados, estatísticas e análises globais, europeias ou americanas para gerar conteúdos.

-Não negligencie os árabes por causa do idioma. Só porque você não entende a língua ou não está confortável com ela, não significa que ela não seja de extrema importância naquela região.

-Não tente vender em sua comunicação. Utilize-a para explicar, linkar suas soluções, ou conectar sua empresa com os temas da região.

Internacionalização de marcas: América do Norte

-Conheça o público com quem você quer falar, assim você pode ser específico em suas mensagens para alcançá-lo.

-Conheça o cenário competitivo. Muitas empresas chegam nos EUA e dizem que não têm concorrentes, que seus produtos são completamente diferentes dos demais. No entanto, isso nem sempre se mostra verdadeiro…

-Não faça marketing ou comunicação nos EUA se não houver uma forma para as pessoas conseguirem suporte local ou falar com um porta-voz. É muito difícil que a imprensa dê atenção à empresas que concedem entrevistas e tentam fazer a  marca vingar por si mesmas no mercado americano, mas que não têm um escritório ou uma pessoal local com quem se possa falar.

Internacionalização de marcas: Reino Unido

-Espere uma mídia bastante cínica e mal-humorada, porque eles adoram distorcer histórias.  Eles não irão escrever o que você quer que eles escrevam.

-Jornalistas britânicos adoram ver o compromisso das empresas com o mercado local. Então, é realmente importante ter um porta-voz local ou, ao menos, pessoas britânicas trabalhando para sua empresa.

-Não fale apenas sobre seus produtos. Você precisa ir além. Precisa falar sobre o contexto no qual seu produto está inserido no mercado. E falar sobre a experiência do consumidor com esses produtos também, até mesmo sobre clientes de outros países.

Internacionalização de marcas: França

-Evite dizer que você é o líder de alguma coisa. Todos querem ser um dos líderes de alguma coisa e obviamente alguém é o líder, mas os jornalistas não gostam disso e isso não faz sentido, então você passará por ridículo.

-Se você deseja dialogar culturalmente com os jornalistas locais, você precisa divulgar algumas das informações locais. Pode ser porcentagem de suas metas locais, sua expectativa local, podem ser os nomes dos seus principais clientes ou o segmento local que você está mirando… qualquer dado, mas precisa ser relevante localmente.

-Sugira uma entrevista somente se você tiver algo importante para falar. Isso porque algumas companhias multinacionais às vezes consideram entrevistas como uma oportunidade para VPs ou executivos que estão em viagem. Isso é ótimo, mas se eles não têm nada para dizer e compartilhar com a imprensa, de fato, não faz sentido realizar uma entrevista.

Internacionalização de marcas: Benelux

– Não foque sua abordagem de mídia somente em press releases e sempre evite mensagens comerciais em toda a comunicação com os jornalistas e também nas redes sociais.

– Encontre sempre um ângulo criativo para abordar a mídia. Pense nas necessidades do seu grupo alvo e os desenvolvimentos de mercado que estão acontecendo.

Internacionalização de marcas: Rússia

-Primeiramente, seja aberto, transparente, honesto e muito sociável. Na Rússia, tudo se baseia em relacionamento. Então pense em personal branding também.

-Aprenda a reagir incrivelmente rápido em um ambiente em constante mudança e acostume-se a ser o mais flexível possível.

-Não pense que os problemas serão comunicados a você imediatamente, porque os russos tendem a fugir dos fracassos. Então esteja informado sobre todas as coisas locais ou encontre um parceiro confiável que se mostre íntegro.

Confira esses e outros conteúdos em vídeo no nosso canal do Youtube:  https://bit.ly/2MNBMGL

A VIANEWS Hotwire espera que todos aqueles que participaram possam ter aprendido um pouco mais e que possam tornar o sonho de expandir os negócios mundo afora em realidade. Contem conosco em todos os passos dessa caminhada!

Deixe um comentário