Em assessoria de imprensa, deadline é deadline

Por: Sibelle Freitas
É bem verdade que a o mercado de mídia passou e segue passando por transformações. Um profissional que tenha ficado três anos fora do mercado por certo se assustará ao ver os novos mecanismos de mídia digital disponíveis hoje. Os conteúdos ganharam um enorme potencial de se propagarem rapidamente via redes sociais, especialmente quando provém de fontes confiáveis como os veículos de comunicação tradicionais. É lindo acompanhar o engajamento e compartilhamento de uma notícia que leva o nome do seu cliente / empresa de forma positiva. As possibilidades em termos de novos leads são animadores. Todos querem isso dentro da empresa.
Mas, há algo que não mudou nessa dinâmica, e que, assim como antes, continua sendo um desafio: o prazo dos jornalistas!
Quando a agência de comunicação trabalha uma sugestão de pauta com um veículo, é porque essa pauta já foi amplamente discutida com o time interno do cliente, envolveu diferentes áreas, como suporte, marketing e comunicação, e até diretoria. Chega então o momento de definir quais publicações serão pautadas, sendo que para a grande imprensa só há espaço se for em exclusividade.
Quando, enfim, o editor compra a ideia da pauta, a entrevista é marcada dentro do deadline de fechamento da publicação. Porém, repito, assim como há anos, AINDA acontece do porta-voz colocar diversas outras prioridades à frente do relacionamento com a imprensa, forçando a assessoria a negociar o prazo.
Claro que cada caso é um caso, e às vezes é realmente necessário pedir a compreensão do jornalista e chorar um tempinho a mais. No entanto, essa prática jamais é recomendada. Uma vez definido como porta-voz de uma companhia, o executivo (a) deve ter essa posição como uma verdadeira missão. Os outros compromissos é que deveriam ser remanejados para não perder a oportunidade de colocar a empresa nos holofotes da mídia.
Importante entender que o deadline não depende da boa vontade do jornalista. Existe um calendário a ser seguido e datas para entrega da matéria. Se for um veículo online ou jornal diário, essa complexidade é ainda maior.
Por isso, seja compreensível com o prazo colocado pelo jornalista. Se aceitou dar a entrevista, esteja pronto no horário combinado e sempre avise se houver algum imprevisto que realmente impeça o atendimento naquele momento. Tenha também um plano B, que pode ser um segundo porta-voz tão bem preparado quanto o primeiro para cobrir o lugar sem deixar a desejar.

Deixe um comentário