Comunicação empresarial: quais as tendências para engajar colaboradores e consumidores?

Se o modo como as pessoas conversam mudou, por que então a comunicação empresarial deveria ficar de fora dessa evolução? E se a sua empresa não se adapta às tendências de momento, é bem provável que ela que será esquecida mais cedo ou mais tarde. Em parte, podemos culpar o avanço tecnológico por isso. Afinal, é por conta da internet e de todo o seu potencial que o volume de informações aumenta a cada momento.

Por mais que a ideia de continuar imprimindo o jornal mural e fazer ligações para as pessoas seja tentadora, lembre-se de que permanecer na zona de conforto não deve trazer benefícios à sua empresa. Por isso, esteja atento ao mar de novas possibilidades. A inovação e adaptação de práticas antigas pode nos tirar do lugar comum e nos fazer sobressair.

Essas novas atitudes devem focar tanto em seu público externo quanto – e principalmente – em seu público interno. Muitas vezes deixada em segundo plano, a comunicação interna precisa estar alinhada com as divulgações da empresa. Afinal, de nada adianta engajar seus leads em toda a estratégia de funil de venda e transformá-los em clientes quando seus próprios colaboradores não estão satisfeitos.

Prioridade ao colaborador

A comunicação empresarial integra atividades desde assessoria de imprensa, marketing a comunicação interna. Tenha em foco que seu funcionário também é um agente comunicador. E se ele não se sente parte da empresa ou até mesmo feliz em seu emprego, por que indicaria uma possível vaga a um colega?

Por isso, a primeira tendência trabalhada aqui é a quebra do muro entre comunicação interna e externa. Engaje seus clientes e possíveis clientes, mas não esqueça de seus colaboradores. Se os profissionais não se sentem parte da empresa, é bem provável que isso transpareça aos clientes. Além disso, os principais disseminadores dos valores da empresa são os próprios funcionários. Como agentes comunicadores, eles compartilham a realidade da organização. Veja seu colaborador como um consumidor também.

Já escrevi anteriormente sobre os motivos para a sua empresa apostar em uma comunicação interna empresarial aqui no blog e vale a pena unir as dicas com as outras tendências que serão apresentadas.

Quais são as tendências da comunicação empresarial?

A cobrança por uma resposta imediata é uma realidade. Por isso, investir em chatbots ou no WhatsApp Business é uma boa opção. Enquanto o primeiro é basicamente um robô que simula uma conversa humana pré-definida em um chat, o segundo estabelece vínculo com o consumidor.

No mesmo patamar estão as redes sociais, que também podem ser aplicadas na comunicação interna com estratégias direcionadas. Com relação aos clientes, eles podem tirar dúvidas. A realidade é que este canal será utilizado para fazer reclamações, com a ideia de ter seu problema solucionado de forma mais rápida. E quando o fazem não devem ser ignorados. Além disso, postar com certa periodicidade demonstra compromisso com o cliente e o mantém em seu radar.

Tenha uma aplicação para gerenciar os dados de seu cliente. Isso ajudará a não esquecer a forma com que o primeiro contato foi feito. Há ferramentas que ajudam a identificar em que parte do funil de vendas o consumidor está e quais ações devem ser tomadas para aumentar o engajamento com ele.

Aposte no marketing de conteúdo para atrair pessoas ao seu site. O blog corporativo também está em voga. É uma excelente estratégia para mostrar a expertise da empresa e das pessoas que ali trabalham. Com a aplicação de técnicas de SEO é possível estar bem posicionado em uma pesquisa no Google. O conteúdo inserido no blog pode ser utilizado para treinamentos internos, então por que não unir o útil ao agradável?

Além de textos, você também pode inserir podcasts em seu blog. Tanto consumidores quanto colaboradores podem usufruir desses conteúdos, além de ser uma excelente alternativa para quem dificilmente pode sentar e ler um conteúdo de qualidade com a devida calma. Podcast pode ser explicado como um programa de rádio, que pode ser baixado ou acessado diretamente de um portal. Ou seja, trata-se de um conteúdo que qualquer pessoa pode ouvir quando, como e onde desejar.

Gamificação: motive e engaje

A gamificação tem ganhado tanto destaque que merece um tópico específico. O conceito surgiu há mais de 15 anos com Nick Pelling, programador britânico. Resumidamente, significa o uso simulado de técnicas, design ou funcionalidades de um game para contextos não ligados ao universo dos jogos. Além disso, no decorrer ou ao final, há algum tipo de premiação. Muitas empresas vêm utilizando-a com os mais variados objetivos: melhorar a experiência de seus clientes; aumentar o tráfego do site; ampliar a conversão de vendas etc.

A gamificação também pode ser aplicada tanto com seus colaboradores como pelos clientes. Por meio de uma forma lúdica, ela motiva e engaja os funcionários tendo como objetivo alcançar metas. Outra aplicação dentro das empresas são os treinamentos. Em vez de um profissional passar horas sentado assistindo a uma apresentação, aprende “brincando”. Isso torna a capacitação divertida, dinâmica e leve.

Entre os consumidores, pode ser inserida antes de a compra ser efetuada, de acordo com o objetivo estabelecido. Ao girar uma roleta, pode estar disponível 10% de desconto ou 50 produtos em promoção, por exemplo.

Comunicação empresarial não precisa ser fria

Em tempos tecnológicos é sempre bom sentir “calor humano”, mesmo que virtualmente. As companhias não devem ter mais um posicionamento distante com o público (interno ou externo). Por trás da informação há costumeiramente um ser humano também. Então, por que continuar escondendo isso?

Indo nesta mesma linha de pensamento, use uma comunicação inclusiva. Pense nas diversas pessoas que receberão seu conteúdo. Adeque-se a cenários diferentes, respeitando a diversidade de gênero, raça e gerações, além de pessoas com deficiência. Sua campanha pode não atingir uma parcela da população com potencial de compra para seu produto por não possuir acessibilidade para cegos ou por ser preconceituosa, ainda que sem querer.

Atinja também a comunidade em que sua empresa está localizada. Preocupe-se com o entorno. Tenha propósitos com causas sociais, ambientais e culturais. Mas seja sincero em suas ações e em sua comunicação empresarial.

Deixe um comentário