Assessoria de imprensa para fintechs: como fazer?

Você, provavelmente, já ouviu falar sobre fintechs. Elas integram a 4ª Revolução Industrial e surgiram para tornar os serviços financeiros mais inteligentes e ágeis, por meio da tecnologia. Fruto da junção de duas áreas extremamente importantes, finanças e tecnologia, as fintechs atraem a atenção da imprensa. Isso porque, possuem um caráter inovador e disruptivo. Dito isso, fica a pergunta: como realizar assessoria de imprensa para fintechs?

Assim como em qualquer setor de atuação do cliente, a assessoria de imprensa deve, primeiramente, entender de que maneira a fintech atua no mercado. Há algumas formas de atuação de uma fintech que envolvem serviços relacionados a formas de pagamento, concessão de crédito ou empréstimo, crowdfunding, investimentos, bitcoins etc. Além disso, uma fintech pode trabalhar com produtos como cartão de crédito e débito, conta digital, seguros e outros.

Compreendida como é a atuação no mercado dessa fintech, é preciso entender o que a imprensa busca ouvir dessas empresas. De maneira geral, os jornalistas estão à procura de inovações e tecnologias disruptivas. Além disso, essas inovações devem impactar diretamente na forma como as empresas prestam seus serviços, ou do comportamento dos consumidores. O Nubank, por exemplo, é uma fintech que vem mudando a maneira como os bancos prestam seus serviços aos clientes. Assim como, os hábitos das pessoas em lidar com um banco.

Dito isso, é importante que a assessoria de imprensa para fintechs trabalhe seguindo dois grandes pilares: desenvolvimento de conteúdo e programa de relacionamentos. Veja abaixo alguns conteúdos e como podem ser trabalhados junto à imprensa:

Press releases

O desenvolvimento de press releases para fintechs pode abordar lançamento de novos serviços ou produtos, acordos de parcerias fechados com outras instituições, divulgação de resultados financeiros seguida por expectativa de crescimento e investimentos. Além disso, informar o mercado sobre participação em eventos do setor, patrocínio ou apoio a iniciativas relacionadas à tecnologia e inovação que estejam diretamente ligadas à atuação de uma fintech.

Artigos de opinião

Os artigos de opinião, assinados pelo principal executivo da empresa, posicionam ambos como referência no mercado. Os textos devem tratar das dores e tendência do mercado em que uma fintech está envolvida. Não deve vender serviços ou produtos da empresa, mas sim ajudar o mercado a compreender em que direção está caminhando.

Cases de sucesso

A imprensa busca, constantemente, exemplos práticos de aplicação de novas tecnologias que tenham gerado resultados expressivos. Além de, alguma forma, possuirem potencial para mudar hábitos e costumes de pessoas e empresas. Um case de sucesso deve informar a respeito do problema que o cliente apresentava, solução implementada, desafios enfrentados e, por fim, resultados atingidos. É importante que tanto a empresa quanto o cliente alvo do case de sucesso estejam disponíveis para conversar com jornalistas. A assessoria de imprensa deve trabalhar com antecedência, pois geralmente o processo de aprovação deste conteúdo é longo. Além disso, é importante que as assessorias de imprensa de ambos os lados estejam alinhadas quanto à estratégia de divulgação.

Relatórios do setor

O uso da tecnologia no setor financeiro é um tema recorrente na imprensa. Por isso, fintechs podem se aproveitar desse interesse e desenvolver relatórios do setor para oferecer um overview sobre as tendências que as empresas do setor financeiro poderiam adotar. Tal conteúdo oferece também aos jornalistas um direcionamento sobre para qual lado o mercado está caminhando, além das necessidades mais urgentes para um desenvolvimento saudável.

Programa de relacionamentos

Além da produção periódica de conteúdo, é importante que a atividade de assessoria de imprensa para fintechs trabalhe com um planejamento de comunicação. esse plano deve envolver o desenvolvimento de programas de relacionamento com a imprensa. Para isso, a assessoria de imprensa deve elaborar uma lista com jornalistas/veículos target. Esses jornalistas serão abordados e convidados para eventos, receberão conteúdos como sugestões de pauta, press releases, artigos, cases de sucesso, relatórios do setor, entre outros. Por se tratar de fintechs, esses jornalistas devem, necessariamente, cobrir os setores de negócios, finanças e tecnologia. A relevância do veículo e o cargo ocupado pelo jornalista é essencial na composição dessa lista.

Além da imprensa, o programa de relacionamentos para as fintechs deve ainda incluir ações com influenciadores digitais. Para isso, é preciso que a equipe de assessoria de imprensa para fintechs pesquise e descubra quem são os principais influenciadores digitais que abordem assuntos relacionados à adoção de tecnologia no mercado financeiro. Importante ressaltar que ações como esta envolvem custos extras para a marca. Entretanto, ações desse tipo também costumam ser muito efetivas, uma vez que as redes sociais estão cada vez mais presente no dia a dia das pessoas.

Essas são algumas dicas de como realizar assessoria de imprensa para fintechs. Sempre importante também que as ações da assessoria de imprensa estejam embasadas em um planejamento de comunicação, além de estar alinhado com a estratégia de marketing da fintech. Dessa forma, é possível obter maior êxito na divulgação junto à imprensa e influenciadores.

Deixe um comentário